Artigos

6 de junho de 2019

Mensagem aos torcedores e aos clubes de futebol no Brasil

Por José Colagrossi, diretor do IBOPE Repucom

 

Quando lançamos o nosso ranking digital dos clubes de futebol em julho de 2016 tínhamos dois objetivos principais: conseguir a atenção dos clubes para elevar a seriedade na gestão de suas mídias sociais e provocar uma competição saudável, que motivasse a utilização das mídias sociais como forma efetiva de engajamento com seus torcedores. Após três anos, nos alegra ver que nossos objetivos iniciais foram alcançados. Hoje todos clubes brasileiros estão trabalhando suas mídias sociais com maior eficiência, e o próprio ranking digital mostra isso mensalmente.

 

Considerando os resultados dos 45 clubes reportados regularmente em nosso ranking mensal, o Facebook se apresenta como a rede social mais popular ao concentrar quase 50% de todas as inscrições de todas as redes sociais dos clubes de futebol. Atualmente, para cada 10 seguidores das contas oficiais dos clubes nacionais, há apenas 7 em suas contas no Twitter, 4 em suas contas oficiais no Instagram e apenas 1 inscrito em seus canais oficiais no YouTube.

 

Entretanto, o histórico do ranking digital nos mostra outros movimentos interessantes e que podem ser traduzidos em oportunidades imediatas para que os clubes expandam seu alcance digital. Enquanto o Facebook diminuiu seu ritmo de crescimento e atualmente contribui com apenas 6% das novas inscrições, o Instagram é responsável por 65% dos novos seguidores dos clubes de futebol em mídias sociais e é considerado o principal motor de crescimento das inscrições em contas de clubes de futebol no país atualmente. O YouTube aparece como segundo maior agente de captação de inscritos ao ser responsável por quase 20% das novas inscrições, seguido pelo Twitter com 13% de participação nas novas inscrições.

 

É importante ressaltar que este movimento não deve ser entendido como perda de interesse pelo Facebook, mas sim como o aumento do interesse dos fãs de futebol também pelos outros formatos e conteúdos oferecidos pelas demais plataformas. Cabe aos clubes “ouvirem” esta demanda e oferecerem ativações digitais e conteúdos exclusivos e de qualidade para todas as outras plataformas sociais.

 

Na medida que no mundo digital um dos maiores objetivos de patrocinadores é tornar o fã do clube em fã da marca, oferecer um alto potencial de engajamento entre marca e torcedor passa a ser fundamental neste processo. Quanto maior for o percentual de torcedores engajados nas mídias sociais de seus clubes, maior a habilidade destes clubes tanto em converter novos patrocinadores quanto criar e potencializar ativações digitais patrocinadas.

 

Portanto, é fundamental que tanto clubes quanto patrocinadores comuniquem aos seus torcedores da importância de seguir todas as mídias sociais de seus clubes. Isso não apenas fortalece a comunicação e engajamento com os torcedores como também ajuda, e muito, na manutenção ou prospecção de novos patrocínios. Por isso recomendamos, enfaticamente, que tanto clubes quando torcedores façam uma campanha para que mais e mais torcedores sigam seus clubes em todas mídias sociais.

O futebol só tem a ganhar com isso.

 

Confira aqui a edição mais atual do Ranking Digital de Clubes de Futebol de Junho/2019

 

José Colagrossi
Formado em Marketing pela Fairleigh Dickinson University e MBA pela Columbia University, José gerencia todas as operações de vendas, desenvolvimento de negócios e as nossas parcerias estratégicas na América Latina, sendo responsável pela expansão do IBOPE REPUCOM no continente. Desde que ingressou ao IBOPE REPUCOM, em 2011, Colagrossi oferece suporte a clientes locais bem como clientes globais que operam na região, com foco em projetos de avaliação de mídia, eficiência de patrocínio, estudos de ROI assim como projetos de pesquisa de mercado. Antes da IBOPE REPUCOM, José gerenciou operações de vendas e de desenvolvimento de negócios globais para empresas líderes em seus setores, como Net2Phone, FaxNet e iCall. Previamente, em sua carreira profissional, José também foi consultor de desenvolvimento de negócios.

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Veja também

24 de julho de 2018

Ressaca digital: O caso Neymar Pós-Copa 2018

  Todos os meninos que jogavam futebol até os anos 90 tinham os... [ Veja mais ]

12 de agosto de 2019

A caminho do próximo nível na gestão de entretenimento esportivo – Case Daniel Alves

<h4>Por José Colagrossi Neto, diretor executivo do IBOPE Repucom</h4>   A chegada de jogadores... [ Veja mais ]

27 de março de 2019

Opinião: Patrocínios com valor atrelado à vendas: os clubes realmente entendem os riscos do negócio?

Com a experiência de décadas em monitoramento de retorno de mídia e... [ Veja mais ]